seguranca do trabalho campinas

O trabalho noturno e seus efeitos na saúde do trabalhador

08 fev O trabalho noturno e seus efeitos na saúde do trabalhador

Vivemos uma época conhecida por não dormir nunca, uma sociedade 24 horas, como alguns especialistas chamam.

Com certeza, você já precisou de algum serviço no meio da noite, seja em um hospital, um posto de gasolina, táxi, supermercado, farmácia e encontrou vários estabelecimentos em pleno funcionamento no meio da madrugada.

Para cobrir essa demanda, são necessários trabalhadores noturnos. Mas trabalhar em turnos trocados pode ser perigoso para a saúde e ser a causa de diversas doenças.

Relógio biológico

O nosso organismo é extremamente pontual e possui um funcionamento diferente durante o dia e durante a noite. É o chamado ritmo circadiano.

Quando o dia vai chegando ao fim e a noite se aproxima, o corpo já entende que chegou a hora de descansar. Então quem trabalha de noite, acaba “desconfigurando” o organismo e provocando reações que mais tarde podem resultar em doenças mais graves.

Mas como isso acontece, exatamente?

A pessoa que trabalha de noite deixa de ter um sono regulado. Quando chega a manhã e a pessoa pode finalmente dormir, o seu corpo, acostumado a acordar com a luz do sol, envia informações dizendo que não é hora de dormir. Quando consegue contornar a situação, a qualidade do sono também é prejudicada, seja pela movimentação de outras pessoas na casa, barulho natural da cidade ou pela claridade.

Com o sono desregulado, o organismo também se desregula, já que é o sono que “reinicia” a nossa máquina. Assim, a melatonina, hormônio que regula outros hormônios do corpo, não é produzida corretamente e acontece um aumento da produção de INSULINA e isso leva a duas situações que estão relacionadas diretamente: a OBESIDADE e a DIABETES.

Doenças pela falta de sono

Sem o sono adequado e com uma quantidade de insulina grande no corpo, o organismo não só passa a gerar mais gordura, mas também impede a queima de gordura quando gastamos energia. Adicione a isso uma alimentação inadequada, com muita comida industrializada e sem nutrientes necessários, e a falta de exercícios e pronto, temos um trabalhador com insônia, diabético e obeso.

Isso sem falar nas outras doenças que qualquer trabalhador está passível de ter, como depressão, ansiedade, transtornos e síndromes. Até mesmo o câncer está sendo considerado como consequência do trabalho noturno.

Um estudo ainda em andamento aponta a relação entre o trabalho noturno e a incidência de câncer. Segundo o estudo, a quebra do ritmo circadiano e a mudança no ciclo da melatonina é um dos possíveis fatores para o crescimento de casos de câncer de mama e de próstata em trabalhadores noturnos.

Mas tem como trabalhar a noite e ter uma vida saudável?

Sim, com certeza, bastam alguns cuidados e disciplina. O trabalhador precisa ter uma rotina bem definida, com um tempo de sono bom e de qualidade, alimentação nutritiva, praticar algum exercício físico e, talvez o mais importante, fazer exames e ir ao médico regularmente.

Mas também é preciso que haja compromisso por parte do empregador. Não basta apenas pagar o adicional noturno e achar que é o suficiente.

O empregador precisa instituir programas de atenção à saúde do trabalhador, como uma orientação nutricional, incentivar a prática de atividades físicas e manter profissionais especializados sempre a disposição dos trabalhadores para reduzir o impacto do trabalho noturno na saúde do seu funcionário.

O trabalho noturno é necessário e cada vez mais importante, mas exige cuidados únicos e muita atenção. É preciso entender que o nosso organismo é uma máquina com um funcionamento muito específico e qualquer mudança de hábito, é capaz de desregula-la completamente. Todo cuidado é pouco quando o assunto é trabalho noturno.

Sem comentários

Deixe seu comentário