seguranca do trabalho campinas

JANEIRO BRANCO – QUEM CUIDA DA MENTE, CUIDA DA VIDA!

18 jan JANEIRO BRANCO – QUEM CUIDA DA MENTE, CUIDA DA VIDA!

Cada vez mais, os transtornos mentais estão sendo considerados uns dos grandes vilões que a sociedade precisa enfrentar nesse novo século. A cada ano que passa, as taxas de pedidos de afastamentos de trabalho vêm crescendo exponencialmente, sem falar nas taxas de suicídio, que também possuem índices bem elevados nos últimos anos. Essas taxas são em decorrência do aumento de pessoas diagnosticadas com doenças psicológicas, como a depressão, ansiedade, síndrome do pânico, etc. E é justamente por isso que foi criado o Janeiro Branco, uma campanha de conscientização para evidenciar a Saúde Mental.

Idealizado pelo psicólogo Leonardo Abrahão, da cidade de Uberlândia (MG), o Janeiro Branco é uma campanha sem fins lucrativos que visa conscientizar e sensibilizar as mídias, instituições, poderes governamentais e a sociedade como um todo para os riscos das doenças psicológicas. Ela foi pensada para aproveitar a energia de renovação e os simbolismos presentes no início de ano, época que normalmente utilizamos para repensar aspectos profissionais, amorosos, sociais e financeiros, e incentivar as pessoas a refletirem, se auto conhecerem e buscarem pensar também na questão da saúde, principalmente a mental.

A campanha, nascida em Uberlândia, cresceu e já virou lei em diversas cidades e estados no país, como por exemplo, Rio Branco (AC), Parnaíba (PI), Matriz de Camaragibe (AL), Vitória de Santo Antão (PE), São Paulo (SP), Maringá (PR), Itaguaí (RJ), Cajazeiras (PB), Juiz de Fora (MG), Itumbiara (GO), Goiânia (GO), Campinas (SP), Campo Grande (MS), Flores de Cunha (RS), Manaus (AM), Sombrio (SC) e nos estados de Pernambuco, Goiás, Roraima e Sergipe. Fora do país, a campanha já apareceu em cidades como Boston (EUA) e Luanda (Angola) e também em Portugal e Japão. Com esse crescimento, a discussão sobre a saúde mental atinge pessoas de diferentes culturas, raças e credos.

A importância de falar sobre isso vem de diversos fatores. De 2008 pra cá, houve um aumento exacerbado nos pedidos de afastamentos do trabalho por conta de transtornos mentais, perdendo apenas para doenças do sistema osteomuscular e doenças traumáticas. Em 2016, o número de trabalhadores afastados em razão de quadros depressivos foi de 75,3 mil de um total de 199 mil afastamentos. Pesquisas também apontam outro fato grave sobre a saúde mental no país e no mundo. Segundo a Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), entre 20 e 25% da população nacional já tiveram, tem ou terão quadros depressivos ao longo da vida e a Organização Mundial da Saúde (OMS), revelou um estudo que mostra que em 2020, a doença mais incapacitante no mundo, será a depressão.

Doenças como depressão e ansiedade são os campeões no ranking de doenças psiquiátricas, mas outras como Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC), Síndrome do Pânico, esquizofrenia, estresse pós-traumático e a Síndrome de Burnout também são bastante comuns. Essas doenças têm ligações diretas com o ambiente de trabalho e com as funções desempenhadas em seus empregos. Alguns dos fatores que podem funcionar como gatilho para o surgimento dessas doenças são cobranças de metas excessivas ou inatingíveis, incentivo intenso para competitividade profissional, jornadas extenuantes, ameaças, pressões, bullying, tanto de chefes quanto de colegas, casos de violência ou risco de morte, assédios, sexuais e morais, novamente, tanto de chefes quanto de colegas.

Assim, é importante ficar atento a alguns sintomas que acabam desencadeando essas doenças: mudanças constantes de humor, falta de motivação, tristeza, transtornos neuróticos, problemas físicos, como dor de cabeça e musculares, sono, fadiga, falta de apetite e uso de substâncias psicoativas, como álcool e drogas.

As empresas possuem papel importante na prevenção dessas doenças, com políticas efetivas para informar, educar e diagnosticar sintomas que podem vir a se tornar doenças psiquiátricas. Campanhas, palestras, cursos, testes psicológicos, entrevistas individuais e atividades laborais são algumas das ações que as empresas podem tomar para auxiliar no cuidado e prevenção dessas enfermidades.

O Janeiro Branco tem como propósito deixar claro que a saúde mental é tão importante quanto à saúde física, mas também serve como um lembrete para que as empresas e a sociedade realizem uma mudança cultural, deixando para trás alguns conceitos que nos ajudaram a chegar a essa realidade de esgotamento e focar naquilo que deve ser sempre nossa prioridade: a saúde, mental e física, e que nada é mais importante do que isso!

Sem comentários

Deixe seu comentário